Banalidades

Cada louco com a sua

birthdayE essa semana eu fiquei mais velha, yay! Vinte e cinco anos, um quarto de século. Senhorrrrr, alguém chama um geriatra, por favor! Haha

Como de costume, mamãe e papai me esperaram na cozinha com os presentes e cantaram parabéns pra mim quando eu entrei pra tomar café-da-manhã. Como de costume, eu fiquei me perguntando o que eu deveria fazer se ninguém lembrasse, se é socialmente aceitável chegar para as pessoas e falar “Oi, hoje é meu aniversário”. Como de costume, eu não consegui atender ninguém que me ligou (faculdade em período integral, sorry folks). E, também como de costume, eu ainda não guardei no armário as roupas que eu ganhei. Mesmo já tendo passado três dias.

É. É isso mesmo. As roupas ainda estão em cima da minha cama. E quando eu vou dormir, elas pulam para cima da minha mesa de estudos.

É uma mania que eu tenho desde que me lembre: a de deixar roupas (na verdade, os presentes de maneira em geral) em cima da cama, ou de qualquer outro lugar que não seja o lugar em definitivo delas, por mais ou menos uma semana antes de guardar. Isso vale para aniversário, Natal, dia dos namorados, coisas que eu comprei pra mim mesma e pro papelzinho de bala que você me deu na aula porque tava com preguiça de ir até o lixo.

Eu deixo lá, vou enrolando pra guardar.  Não por preguiça de arrumar as coisas. Nem por falta de espaço. Ok que eu ainda não me adaptei totalmente ao apertamento, mesmo tendo mudado há quase 5 anos. Mas eu fazia isso na casa antiga, mesmo depois que minhas irmãs se mudaram e eu fiquei com os armários delas pra mim – ou seja, sobrava espaço.

Acho que tudo isso é porque eu tenho a impressão de que, uma vez que você guarda seus presentes e suas coisas novas, elas meio que deixam de ser novas. Tenho plena consciência que isso soa absurdo. Mas lá está sua calça/ blusinha/ what-so-ever lá, junto com aquela sua camiseta desbotada cheia de bolinhas extremamente confortável que você usa pra ficar em casa.

Eu só quero aproveitar o máximo possível – ou seja, até minha mãe se irritar e mandar eu guardar as coisas umas trocentas vezes – minhas coisinhas novas e recém-compradas/ ganhas. Provavelmente, se eu pudesse, manteria desse jeito até usar pela primeira vez, com elas deixam de ser novinhas em folha.

Eu sou normal. Juro. E não tenho TOC. Eu já estudei sobre os critérios diagnósticos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s